segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Autoridade sem comando



Algumas pessoas têm autoridade e, normalmente, haverá uma autoridade maior, e ainda existirá outra que estará um degrau a cima.
É assim com um professor, por exemplo, é cabeça em sala de aula, mas tem sempre o vice-diretor, acima dele o diretor e além deles, há um órgão público encarregado para eventuais problemas que possam fugir o controle.
Quando não é assim, posso lhes dar o exemplo de um empresário que tem o controle de seus negócios e, ainda assim precisa de fornecedor, de contador e etc.
É normal todos precisarmos de alguém e, assim segue a vida cada qual com seu poder, dentro de sua jurisdição.
O problema é quando quem está à frente de algo deixa de pensar nas consequências de suas palavras, promessas e até mesmo não pesa nos efeitos de suas ameaças: que podem voltar contra si.
Quem está à frente têm que se espelhar em um espelho depois que se quebra nunca mais refletirá a mesma imagem.
A autoridade para ter palavra é preciso passar confiança para seus comandados e os que estão envolvidos direta e indiretamente com ela.
É preciso ser transparente, verdadeiro, sincero. Por mais que não seja a melhor opção e, sendo assim, evitará preocupações futuras porque quando as palavras, promessas ameaças e outras mais não são cumpridas, a autoridade cai em descrença, a pessoa perde o seu comando e sua liderança é questionada pelo que está debaixo dela.
Imagine como seria um professor dar suspensão para um aluno e seu supervisor fazê-lo voltar atrás: nem um de seus alunos lhe respeitaria mais.
O líder maior está lá para que as coisas não saiam do limite; cabe tão somente a cada pessoa que está à frente de qualquer coisa ter o bom senso de analisar, com prudência suas ordens, para que estas não lhes sirvam de futuras armadinhas.



PH SOUZA

0 comentários:

Seguidores

No Facebook

Traduzir Blog

Arquivo do Blog

Compare preços