quinta-feira, 9 de agosto de 2012

O Sem-noção


Há pessoas que não têm noção, isso é no contexto geral da palavra, dessa forma comete pequenos delitos em seu comportamento que incomodam e ao mesmo tempo as ridicularizam.

O sem noção nunca sabe a hora de entrar em cena, sempre se intromete numa conversa sem ao menos se preocupar se sua presença incomoda, não tem a sensibilidade de no mínimo perguntar se é "particular” e ainda chega falando e não para até alguém que está ali sair e deixa-lo falando sozinho. O "sem-noção" não consegue compreender o porquê. É até considerado pelas pessoas que estão ali, mas nem sempre o que é compartilhado com fulano tem que ser com ciclano.

Outra falta de noção: o celular. O sem noção liga, se a pessoa não atende, fica ligando sem parar. De duas uma: a pessoa não pode atender ou não quer e ponto. Quando não pode atender, não pode. Quando não quer, geralmente é porque o “sem-noção” só liga em momentos inadequados.

Visitas inesperadas, quando se é convidado, a pessoa está esperando e se projeta para recebê-lo, mas vai o “sem-noção” sem avisar e não tem hora de aparecer. A pessoa quer dormir ou precisa sair e ele não percebe que está sendo importuno.

Uma amiga me disse que foi com seu esposo ser entrevistada para receber uma premiação que esperavam a quinze anos, entraram na sala do entrevistador e ficaram parados atrás das poltronas em frente à mesa esperando que este chegasse, quando enfim chegou, disse: “Desculpem-me pelos minutos de atraso, porque vocês não se sentaram?”.
Seu marido olhou para ele e disse: “Das muitas coisas que tivemos que aprender, para hoje estarmos aqui, uma é que ‘melhor é ser convidado para entrar do que para sair’”.

Está ai uma coisa insignificante para muitos, mas isso pode abrir e fechar muitas portas todo o tempo.

PH SOUZA

0 comentários:

Seguidores

No Facebook

Traduzir Blog

Arquivo do Blog

Compare preços