quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Porque o dinheiro?

Na crise econômica em 2008, me lembro de que houve muito desespero, um corre-corre geral, empresas falindo, pessoas quebrando, milionários perdendo tudo enfim, pais de família perdendo emprego, uma catástrofe mundial.
Só para termos uma ideia bem melhor sobre o que ocorreu em Los Angeles, na Califórnia, um dos Estados mais castigados pela crise econômica, o número de chamadas aos centros de prevenção a suicídios aumentou 80% em dezembro de 2008 na comparação com o mesmo mês de 2007. Foram 2.748 chamadas, contra 1.553.
Já no Japão a média nacional é de um suicídio a cada 20 minutos. Nas piores épocas, o tempo entre uma morte e outra cai para até 15 minutos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, entre os países ricos, o Japão está em segundo no ranking de suicídios, atrás da Rússia. Lá, a média de suicídios é de 40 a cada 100 mil pessoas. No Japão a média é de 24 e, no Brasil, 5.
Não posso deixar de falar de um suicídio causado pela crise financeira que levou o bilionário Adolf Merckle, de 74 anos, um dos homens mais ricos da Alemanha, segundo informou a família do empresário.
Adolf Merckle, com uma fortuna estimada em US$ 9,2 bilhões (cerca de R$ 20 bilhões), estava em 94º lugar na lista dos homens mais ricos do mundo da revista Forbes e era o quinto mais rico da Alemanha.
Mas, porque aconteceu tudo isso, não a crise, ela é erro que muito infelizmente acaba acontecendo; mas, por que acontece o desespero?
Apenas pelo fato de alguns terem o coração no dinheiro, na fortuna, nos bens materiais etc.
O dinheiro tem sido o bem maior de muitos, tem superado amor pelos familiares, amigos e, em alguns casos, o dinheiro tem superado até o amor próprio.
Não trouxemos nada e da mesma forma não levaremos, o coração tem que estar apegado a coisas que são verdadeiras, que são reais, que fazem diferença na vida do indivíduo que, de fato, faz diferença para a humanidade.

PH SOUZA

0 comentários:

Seguidores

No Facebook

Traduzir Blog

Arquivo do Blog

Compare preços